quinta-feira, 19 de julho de 2018

BaVi de torcida única terá mais de 300 policiais militares

PM realiza Reunião preparatória para o BAVI

Um dos eventos esportivos mais importantes para o torcedor baiano, o clássico Bahia x Vitória mexe com o coração de milhares de apaixonados pelos dois principais times do estado. Por isso, a Polícia Militar da Bahia (PMBA), por meio do Batalhão Especializado em Policiamento de Eventos (Bepe), está preparando estratégias para garantir a segurança de todos no jogo do próximo domingo (22), às 16h, na Arena Fonte Nova, pelo Campeonato Brasileiro 2018.

 “Nosso objetivo é trabalhar em prol da segurança. Vamos contar com um efetivo de 307 policiais dentro e fora do estádio. Teremos unidade do Batalhão de Choque, do Batalhão de Guarda e do Batalhão Turístico nas intermediações do estádio. Faremos abordagens atentando para materiais proibidos”, explicou o comandante do Bepe, tenente-coronel Saulo Roberto.

 O comandante acrescentou que “é importante lembrar, para quem for torcer nas ruas e em bares, que a segurança também é responsabilidade do torcedor. Teremos torcida única dentro do estádio, mas quem for curtir o jogo na rua, em bares e restaurantes, que vá na paz, sempre com o pensamento de se divertir, sem brigas”.

 Um encontro nesta quinta-feira (19), na Arena Fonte Nova, reuniu representantes dos dois clubes, da Transalvador, da Guarda Municipal, da Federação Baiana de Futebol e dos principais comandos especializados e táticos, como Batalhão de Choque, Companhia Independente de Policiamento Tático (CIPT) Rondesp BTS, Esquadrão de Polícia Montada e Esquadrão de Polícia Águia.

 Para o presidente da torcida organizada Bamor, Luciano Venâncio, o importante é que todos os torcedores mantenham o espírito de harmonia. “Dia de clássico é sempre um momento especial. A gente espera com ansiedade pelo dia do jogo, mas é preciso aproveitar o momento com toda a tranquilidade. Vamos torcer e brincar, mas sem violência”, afirmou.

Jovens em situação de risco social são capacitados em linguagens de comunicação

Programa Corra pro Abraço Juventude

Fotografias, vídeos, produtos de áudio e peças de design gráfico produzidos pelos participantes do programa Corra pro Abraço Juventude fazem parte da Mostra de Comunicação do Corra pro Abraço, realizada nas comunidades do Boqueirão/Nordeste de Amaralina, Beiru/Tancredo Neves, Fazenda Coutos e Plataforma.

 Com parte do programa, nesta quinta-feira (19), jovens de Fazenda Coutos transformaram dois muros da região em painéis fotográficos. O objetivo da iniciativa é proporcionar a moradores de bairros periféricos de Salvador a construção de novas narrativas de vida, além de lutar contra índices que apontam 53% das vítimas de homicídio no país como jovens, sendo 71% negros e 73% não possuem o ensino fundamental.

 “Eu aprendi muita coisa no programa. A gente acha que fotografar é fácil, mas eu aprendi que a gente pode fotografar não somente o que a gente pode ver, mas também o que a gente pode imaginar e sentir", afirmou Beatriz Silva, 18 anos, moradora de Fazenda Coutos e participante do programa há três meses. “Decidimos chamar o tema de 'Além do que se vê', onde a gente mostra as dificuldades da comunidade e a discriminação".

 Gilcleidson dos Santos Lobo, 19, é um dos participantes mais antigos. “Já tem seis meses que eu participo. Fiz cursos de vídeo, designer, rádio e agora fotografia. Isso ensina muita coisa, não apenas possibilidades profissionais, como também fazemos amizades e aprendemos coisas para levar para o resto da vida e melhorar nosso futuro”.

 Oficinas

 Coordenador do Corra pro Abraço Juventude, Leandro Cunha informou que o programa atua com 120 jovens, acompanhados desde junho de 2017. “Eles têm acesso a oficinas de educomunicação nas linguagens de rádio, fotografia, vídeo e design gráfico. Isso envolve uma forma de pensar a comunidade, as famílias e o projeto de vida de cada um com a perspectiva de reconstruir possibilidades”.

 Segundo Leandro, são atendidos jovens em situação de risco, seja pelo histórico de violência, seja pelo abuso de drogas. “Todo o processo de formação culmina com as mostras, quando mobilizamos e convidamos as comunidades a verem o que esses jovens estão fazendo, porque eles costumam ser muito estigmatizados dentro da própria comunidade”, explicou.

 O comerciante Pedro Paixão tem uma loja de acessórios de celulares em frente a um dos muros que se tornaram painéis fotográficos. Ele destacou que o muro "estava feio, todo acabado. É importante a mocidade aprender uma atividade como fotografia. Toda comunidade, todo bairro deveria ter um projeto desses para incentivar os jovens a serem criativos e fazerem cursos”.

 Prêmio Culturas Juvenis 2018

 Outra iniciativa de fomento ao desenvolvimento juvenil das periferias lançada junto à mostra é o Prêmio Culturas Juvenis. Grupos de jovens que contribuem para o fortalecimento da cultura podem se inscrever na 1ª edição do prêmio, que pretende reconhecer a atuação de coletivos formados por jovens de quatro territórios de Salvador: Nordeste de Amaralina, Beiru-Tancredo Neves, Plataforma e Fazenda Coutos, bairros de atuação do Programa Corra pro Abraço.

 Serão premiados projetos que contribuem para a valorização das expressões culturais da periferia. As inscrições podem ser realizadas até 8 de agosto, no site da ONG Cipó.

Estado investe mais de R$ 6,3 milhões em sete obras na área da saúde

Nos próximos 30 dias, sete unidades de saúde do Estado localizadas na capital terão as obras concluídas. Juntas, elas superam os R$ 6,3 milhões e contribuem para a melhoria do atendimento da população. Nesta quinta-feira (19), representantes da Secretaria da Saúde (Sesab) inspecionaram a implantação das novas enfermarias obstétricas na Maternidade Albert Sabin e a requalificação das Unidades de Emergência de Cajazeiras VIII e Pirajá.

 Com mais de 80% das obras concluídas em todas as unidades, os novos leitos obstétricos na Maternidade Albert Sabin são destaque, visto que Salvador não possui nenhuma maternidade pública. O Estado vem assumindo a assistência integral ao parto no município, ainda que lhe caiba prioritariamente os casos de alto risco.

 O Estado tem investido na assistência médica digna à população e, para tanto, investe mais de R$ 60 milhões na ampliação e modernização da rede materno-infantil. Em Feira de Santana, por exemplo, foram criados 104 novos leitos, sendo 32 de Unidades de Terapia Intensiva (UTI) e 28 de Cuidados Intermediários (UCI).

 As outras obras em curso referem-se à implantação de novos leitos de UTI pediátricos no Hospital Ana Nery, um Centro de Parto Humanizado em Plataforma, uma UPA em São Caetano, bem como a requalificação da Maternidade Tsylla Balbino.

Após subir 1% durante o dia, dólar fecha estável

O dólar fechou a quinta-feira praticamente estável, com leve alta de 0,09%, cotada a R$ 3,8448 na venda. A cotação da moeda norte-americana chegou a subir 1% durante o dia, se aproximando de R$ 3,90. O Banco Central manteve a linha tradicional, sem efetuar leilões extraordinários de swaps cambial (venda futura da moeda norte-americana).

 O índice da Bolsa de Valores de São Paulo (Bovespa) fechou o dia em leve alta de 0,16%, com 77.486 pontos, revertendo a tendência na abertura do pregão quando iniciou em queda de 1,64%.
Fonte: Agência Brasil

Ossos em sarcófago no Egito são de guerreiros e não de Alexandre Magno

Sarcófago encontrado no Egito

O Ministério de Antiguidades do Egito anunciou hoje (19) que no sarcófago encontrado em um bairro de Alexandria, no norte do país, há três esqueletos que provavelmente pertencem a oficiais militares ou guerreiros, o que acaba com as especulações de que poderia se tratar dos restos mortais de Alexandre, o Grande.

 Em comunicado, o secretário-geral do Conselho Supremo de Antiguidades e chefe da missão egípcia, Mustafa Waziri, indicou que o sarcófago de rocha negra, encontrado durante uma inspeção em uma escavação realizada em um terreno particular no bairro de Sidi Gaber, estava cheio de águas residuais.

 Um especialista no estudo de múmias e esqueletos, Shaaban Abdelmoneim, citado pelo ministério, indicou que o primeiro exame dos ossos revelou que eles provavelmente eram de "três oficiais militares ou guerreiros".

 Um dos crânios apresenta um ferimento por uma flecha, assinalou o especialista, sem oferecer mais detalhes.

 Os três esqueletos foram transferidos aos armazéns do Museu Nacional de Alexandria para serem analisados, afirmou o ministério na nota.

 O interior do sarcófago foi alvo de polêmica desde que foi descoberto há três semanas, já que o ministério indicou que o achado datava da época ptolemaica, que consiste no século 3 a.C.

 O período greco-romano dos ptolomeus começou no Egito com a conquista do país por Alexandre Magno, no ano de 332 a.C. (antes de Cristo), e finalizou com a tomada de Alexandria pelos romanos, 30 anos antes de Cristo, quando o país era governado pela rainha Cleópatra VII.

 Nos últimos dias, vários veículos de imprensa estrangeiros, citando especialistas egípcios, tinham assegurado que no interior do sarcófago poderia estar a múmia de "um líder do primeiro escalão", o que alimentou os rumores nas redes sociais de que poderia se tratar do próprio Alexandre, o Grande.
Fonte: Agência Brasil

Quase 20% da população ainda guarda moedas em casa, diz Banco Central

Moeda, dinheiro

Parte da população brasileira ainda tem o hábito de guardar moedas em casa. Estudo divulgado hoje (19) pelo Banco Central (BC) mostra que 19,3% da população guarda moedas por mais de seis meses. Além disso, 56,2% usam o dinheiro guardado no cofrinho para compras e pagamentos, mostra o BC, no estudo "O brasileiro e sua relação com o dinheiro".

 De acordo com o chefe do Departamento do Meio Circulante do BC, Felipe Frenkel, 8 bilhões de moedas estão guardadas "em algum lugar". Ele destacou que quanto mais moedas ficarem em circulação, menor será o gasto de recursos públicos com a produção do dinheiro.

 O chefe-adjunto do Departamento do Meio Circulante do BC, Fábio Bollmann, disse que o BC considera positivo que a população faça poupança com as moedas. Entretanto, ele orienta a trocar as moedas por cédulas sempre que atingir um valor maior, no comércio ou no banco, para ajudar na circulação de dinheiro.

 Segundo o BC, o dinheiro vivo ainda é o meio de pagamento mais utilizado pela população: 96,1% responderam que, além de outros meios, também fazem pagamentos em espécie. Na questão, os entrevistados podiam marcar mais de uma opção – 51,5% mencionaram cartão de débito e 45,5%, cartão de crédito.

 Frenkel acrescentou que a pesquisa é importante para saber qual é a demanda atual por dinheiro no país. “O Banco Central faz a pequisa para atender a demanda da população. Ainda é muito necessário o dinheiro no dia a dia”, acrescentou.

 Para compras de até R$ 10, 87,9% dos entrevistados preferem utilizar dinheiro. Esse índice diminui com pagamentos de maior valor. Para desembolsos de mais de R$ 500, a maior parte (42,6%) prefere cartão de crédito. No comércio, 75,8% dos estabelecimentos aceitam pagamentos no débito e 74,1% no crédito. Apenas 16,3% aceitam cheques.

 Salários

Bollmann destacou que “uma parcela significativa da população ainda recebe o pagamento de salários em espécie. Segundo a pesquisa, esse percentual chegou a 29%, embora a maioria receba por meio de conta corrente ou de pagamento e poupança (48%). Outros 22% disseram que não têm renda, 1% não responderam como recebem o salário e 0,4% por cheque. Em 2013, o percentual dos que recebiam salário em dinheiro era maior: 51%.

 Faturamento do comércio

Segundo o comércio, os pagamentos em dinheiro representam 50% do faturamento, contra 55% registrados em pesquisa de 2013. O cartão de débito aumentou de 14% para 20% sua fatia no fluxo de caixa dos estabelecimentos. Já o uso de cheques diminuiu 2 pontos percentuais, passando para apenas 1%. As vendas feitas em cartão de crédito ficaram estáveis no período, com 25%.

 Segurança da cédula

Segundo o BC, entre a população, a marca-d'água é o item de segurança mais conhecido, seguido do fio de segurança e da textura da nota. No comércio, a textura ou espessura do papel foi o item mais utilizado para reconhecimento de nota verdadeira, com 48%, seguido pela marca d’água e o fio de segurança.

 A pesquisa mostra que 23% dos entrevistados declararam já ter recebido uma cédula falsa, o que representa uma redução de 5 pontos percentuais em relação a 2013, que registrou 28%. Daqueles que receberam notas falsas, apenas 28,3% entregaram para análise do BC.

 De acordo com o BC, o hábito de verificar a autenticidade das notas está relacionado ao seu valor. Apenas 8,5% declararam verificar sempre as notas de R$ 2,00. Já para as notas de R$100, o percentual passa para 43,4%. Mesmo para as notas de maior valor, um percentual expressivo não verifica nunca: 39,2% para as de R$50 e 37,7% para as de R$100.

 Por ser menos utilizada, a cédula de R$ 100 é considerada a mais bem conservada tanto pelo comércio quanto pela população, diz o BC.

 A abrangeu a população de adultos residentes nas capitais e municípios com 100 mil ou mais habitantes e caixas de comércio e serviços. Para cada dos dois públicos-alvos foram realizadas mil entrevistas, em abril deste ano.
Fonte: Agência Brasil

quarta-feira, 18 de julho de 2018

Grupo de Teatro da PM estreia peça sobre combate às drogas

Grupo de Teatro da PM estreia peça sobre combate às drogas

Mais de três mil estudantes assistiram à apresentação da nova peça do Grupo de Teatro da Polícia Militar, nesta terça (17) e quarta-feira (18), na cidade de Alagoinhas, no nordeste do estado. O espetáculo 'Labirinto' trata dos caminhos percorridos pelos jovens até as drogas e também todo o impacto na vida da família e dos amigos. Nos dois dias, foram realizadas cinco sessões para alunos da rede de ensino municipal e estadual.

 O texto dialoga com os jovens numa linguagem acessível e responsável. “A intenção é que, através deste trabalho, possamos despertar o afeto e melhorar o ambiente social. Tudo isso porque utilizamos a arte como ferramenta de segurança pública também”, destaca o capitão Elton Santana, coordenador do Grupo de Teatro da PM.

Pontos móveis realizam coleta de sangue em dois locais de Salvador

Hemoba divulga roteiro de hemóveis para coleta de sangue e cadastro de doadores de medula óssea

A Fundação de Hematologia e Hemoterapia da Bahia (Hemoba) amplia o acesso de doadores de sangue às unidades de captação por meio da instalação de duas unidades móveis (Hemóveis) de atendimento. Os Hemóveis estão estacionados em frente ao Shopping Ponto Alto, na Avenida São Rafael, e na sede do Tribunal Regional Eleitoral, no Centro Administrativo da Bahia. A população pode procurar as unidades e realizar a doação de sangue e cadastro de doador de medula óssea até próxima sexta-feira (20), das 8h às 17h. Na sede do TRE, o atendimento na sexta-feira será até às 12h.

 As unidades têm capacidade para realizar 120 atendimentos diariamente e coletam cerca de 80 bolsas de sangue. Segundo a assistente social da Hemoba, Cátia Rocha, a iniciativa é uma estratégia para aumentar a captação de bolsas de sangue no estado, além de ampliar o cadastro de doadores de medula óssea. “A proposta é envolver as comunidades vizinhas aos locais em que estão os Hemóveis e atender a demanda da rede pública. As pessoas podem procurar as unidades, onde irão passar por uma triagem clinica e constatado o bom estado de saúde e, desde que esteja portando um documento oficial com foto, poderá realizar a sua doação”, explica.

 Durante a doação são captados 470 mililitros de sangue que podem ser doados para até quatro pessoas. Ainda de acordo com Cátia, o nível de estoque da Hemoba é considerado crítico e a demanda por sangue de fator RH negativo é muito grande. A Fundação é responsável pela garantia dos atendimentos das demandas transfusionais dos 417 municípios baianos.

 A proximidade da sua residência levou a professora Laís Dias a realizar a primeira doação de sangue da sua vida. “O que motiva a doação é o sentimento de solidariedade em ajudar ao próximo e saber que meu sangue vai chegar a muitas pessoas que estão precisando neste momento. Eu passei aqui ontem, vi o Hemóvel estacionado e essa foi a oportunidade que faltava para que eu me tornasse uma doadora. Deixar o estoque da Hemoba alto é muito importante”, revelou.

 O enfermeiro Enderson Souza explica que o procedimento de coleta dura em média 14 minutos e antes de realizar a doação de sangue é importante que as pessoas estejam alimentadas e hidratadas. “O procedimento é simples e rápido e o volume de sangue doado é reposto pelo organismo do doador nas primeiras 24 horas após a doação. Além disso, o intervalo entre uma doação e outra para os homens é de 60 dias e para as mulheres, 90 dias”, esclarece.

 Para ser um doador de sangue é necessário ter entre 16 e 69 anos (os menores devem estar acompanhados por responsável legal) e apresentar documento original com foto, emitido por órgão oficial e válido em todo o país. O doador deve pesar mais de 50 quilos e para aqueles que tenham sido vacinados contra a gripe é necessário respeitar um intervalo de 48 horas a contar da data da vacinação.

Safra baiana cresce e produção de grãos bate recorde em 2018


O estado está colhendo safra recorde de grãos em 2018: são 9,7 milhões de toneladas, segundo o boletim mais recente da Companhia Nacional de Abastecimento (Conab). Esse resultado apresenta um crescimento de quase 20% com relação à safra de 2017.

 A Bahia ocupa o 7º lugar no ranking nacional dos estados produtores do Brasil, com 4,2% da safra nacional, e é líder no Nordeste, onde responde por 45,5% da produção. A soja tem contribuído significativamente para esses números, sendo carro-chefe do agronegócio baiano.

 Para essa temporada, a Bahia deve produzir 6 milhões de toneladas do grão, o que garante um crescimento de 16,3%, consagrando a região oeste como um dos principais polos produtivos de soja do país.

 Segunda cultura mais importante entre os grãos produzidos no estado, a cultura de milho deve fechar a safra em 2,6 milhões de toneladas, número 29,1% superior à colheita de 2017. A Bahia é o maior produtor do Nordeste e responde por 34% da produção da região.

 A safra de algodão é de 1,2 milhão de toneladas - 36,7% superior à safra do ano passado. A Bahia é responsável por 24% da produção nacional de algodão, ocupando o segundo lugar na cotonicultura do Brasil e atrás apenas do Mato Grosso.

 Já a produção de feijão deve fechar o ano com uma colheita de 296,5 mil toneladas, sofrendo uma redução 1,3% em relação à safra de 2017, devido à diminuição da área plantada na safra de verão.

Bolsa Família começa a pagar nesta quarta benefício com reajuste

Os inscritos no Bolsa Família começam a receber hoje (18) o benefício com reajuste de 5,67%. O pagamento será escalonado até o dia 31 deste mês. A informação foi divulgada hoje pelo Ministério do Desenvolvimento Social (MDS).

 Segundo o ministério, para saber o dia em que o dinheiro pode ser retirado, basta que o beneficiário confira o Número de Identificação Social (NIS) impresso no cartão. Aqueles que terminam com final 1 podem sacar no primeiro dia do pagamento. Os com final 2, no dia seguinte e assim por diante.

 Os recursos ficam disponíveis para saque por um período de três meses. O benefício é destinado às famílias inscritas no Cadastro Único e com renda mensal per capita de até R$ 89, além daquelas com renda mensal por pessoa de até R$ 178 que tenham entre seus integrantes gestantes, crianças ou adolescentes.

 Ao se inscreverem no programa, as famílias assumem compromissos nas áreas de educação e saúde, que são conhecidos como condicionalidades.

 O MDS lembra que crianças e adolescentes precisam ter frequência escolar de 85%. Para os jovens de 16 e 17 anos, o percentual exigido é de 75%. Na condicionalidade de saúde, um dos compromissos é manter em dia a vacinação das crianças e o pré-natal das gestantes.

 O último reajuste do Bolsa Família aconteceu nesta mesma época, há dois anos. Em 2016, o benefício também havia ficado dois anos sem aumentos. Este reajuste de 5,67% foi aprovado em maio pelo governo. O Bolsa Família é o maior desembolso social da União, consumindo cerca de R$ 29 bilhões anuais, distribuídos a quase 14 milhões de famílias.
Fonte: Agência Brasil

Unicamp lidera ranking de melhores universidades da América Latina

A Universidade Estadual de Campinas (Unicamp) lidera o ranking da revista britânica Times Higher Education (The) como a melhor da América Latina. Outras cinco instituições brasileiras aparecem entre as dez melhores da região. Apenas uma delas é particular, a Pontifícia Universidade Católica do Rio de Janeiro (PUC-RJ). Instituições do Chile, México e Colômbia também aparecem no top 10.

 A Universidade de São Paulo (USP) é a segunda colocada do ranking. A Universidade Federal de São Paulo (Unifesp) ocupa a quarta posição, a Pontifícia Universidade Católica do Rio de Janeiro (PUC-RJ) é a sétima, a Universidade Federal de Minas Gerais (UFMG) é a nona e a décima é a Universidade Federal do Rio Grande do Sul (UFRGS).

 O levantamento analisa 129 universidades de dez países da América Latina. O Brasil tem 43 universidades listadas. Depois do Brasil, o Chile foi o país com mais instituições citadas, com 26, seguido pelo México (22), Colômbia (19) e Argentina (7). Na sua terceira edição, o ranking incluiu pela primeira vez uma instituição jamaicana, a Universidade das Índias Ocidentais, que ficou na 37ª posição.

 Entre os critérios de avaliação, são levados em conta a qualidade do ensino e da pesquisa, publicações de artigos científicos, transferência de tecnologia ao setor produtivo, além do perfil internacional das universidades. Para tanto, são coletados dados como o número de publicações científicas, nacionalidades presentes na comunidade universitária, orçamento, recursos destinados à pesquisa e programas de pós-graduação.
Fonte: Agência Brasil

Suplementos alimentares ganham regulamentação inédita

A diretoria colegiada da Agência Nacional de Vigilância Sanitária (Anvisa) aprovou novo marco regulatório para suplementos alimentares. A regulamentação, segundo a entidade, vai contribuir para o acesso de consumidores a produtos seguros e de qualidade, além de ajudar a reduzir a assimetria de informações no mercado – sobretudo em relação à veiculação de alegações sem comprovação científica.

 Segundo a Anvisa, uma resolução, a ser publicada nos próximos dias no Diário Oficial da União, trará os requisitos sanitários gerais dos suplementos alimentares, incluindo regras de composição, qualidade, segurança e rotulagem.

 A agência também vai publicar uma instrução normativa com a lista de ingredientes permitidos e as alegações autorizadas. O texto será atualizado periodicamente e vai estabelecer limites mínimos e máximos para cada substância, de acordo com grupo populacional – crianças, gestantes e lactantes, por exemplo.

 Será publicada ainda uma resolução que trata de aditivos e coadjuvantes de tecnologia permitidos para esses produtos e uma outra resolução sobre estudos necessários para comprovar a segurança e a eficácia de probióticos (micro-organismos vivos que, quando administrados em quantidades adequadas, conferem benefício à saúde).

 “As empresas terão cinco anos para adequarem os produtos que já estão no mercado à nova norma. No entanto, os suplementos alimentares novos já deverão ser comercializados de acordo com as novas regras”, informou a Anvisa.

 Debate

Antes de regulamentar o tema, a agência realizou diversas reuniões com setores interessados no tema e recebeu opiniões, críticas e sugestões da sociedade civil e de entidades por meio de seis consultas públicas.
Fonte: Agência Brasil

terça-feira, 17 de julho de 2018

Ilhéus recebe Fábrica-Escola do Chocolate e projeto Escolas Culturais


A Fábrica-Escola do Chocolate Deize Silva Santana foi entregue neste terça-feira (17), em Ilhéus, no sul da Bahia, junto com a implantação do projeto Escolas Culturais. Os projetos dialogam com a cultura e a identidade da cidade, seja por meio da arte, nas distintas linguagens, seja por meio da interlocução com as cadeias e arranjos produtivos locais, com o objetivo de promover o protagonismo estudantil e a formação profissional e empreendedora dos estudantes, abrindo as unidades escolares para a comunidade.

 O lançamento do Escolas Culturais ocorreu pela manhã, no Colégio Modelo Luís Eduardo Magalhães, com apresentações de dança, teatro e outras manifestações artísticas. O projeto reconhece e requalifica a escola como um espaço de circulação e produção da diversidade cultural do Território de Identidade onde está inserida e potencializa as experiências artísticas e culturais já existentes nas unidades escolares, fomentando novas atividades.

 A iniciativa já foi lançada em Jequié, Itabuna, Juazeiro, Gandu, Bom Jesus da Lapa, Feira de Santana, Itaberaba, Teixeira de Freitas, Guanambi, Seabra, Ipiaú, Irecê e Santo Antônio de Jesus e é resultado de parceria entre as Secretarias da Educação, de Cultura (SECULT), de Justiça, Direitos Humanos e Desenvolvimento Social (SJDHDS) e Casa Civil.

 Fábrica-Escola

 No período da tarde foi entregue a Fábrica-Escola do Chocolate Deize Silva Santana, no Centro Estadual de Educação Profissional (Ceep) Nelson Schaun, quando os presentes conheceram as instalações da fábrica, que servirá como laboratório para que os estudantes que fazem os cursos técnicos de nível médio tenham aulas práticas e possam desenvolver projetos, pesquisas e intervenções sociais, aperfeiçoando a formação profissional.

 Também foi lançado no Ceep Nelson Schaun o Escritório Criativo Territorial, que somado à Fábrica-Escola do Chocolate, servirá de campo de estágio para os estudantes e disponibilizará serviços de consultoria e assessoria no Território, voltadas, por exemplo, para a proteção à inovações, criações, marcas e patentes de estudantes, professores e comunidades.

 Já foram implantadas as Fábrica-Escola do Chocolate em Gandu e a Fábrica-Escola do Couro em Ipirá, sempre com a proposta de dinamizar as práticas pedagógicas.

Armazém da agricultura familiar é destaque na SuperBahia


A diversidade produtiva do rural baiano é destaque no Armazém da Agricultura Familiar, instalado na SuperBahia, maior feira do setor supermercadista do Norte-Nordeste do Brasil. O evento começou nesta terça (17), na Arena Fonte Nova, em Salvador, e segue até quinta-feira (18), com a participação de 19 empreendimentos da agricultura familiar do estado, que expõem e comercializam mais de 60 produtos.

 A Superbahia é voltada, exclusivamente, para fornecedores, distribuidores, atacadistas e empresários do setor supermercadista. É onde a indústria de alimentos da Bahia se reúne para mostrar a diversidade e a qualidade da produção, além de fazer negócios, captar novos clientes e fortalecer a marca. O evento é promovido pela Associação Bahiana de Supermercados (Abase), junto com o Sindicato dos Supermercados e Atacados de Auto Serviço do Estado da Bahia (SindSuper).

 Durante os três dias da feira, a agricultura familiar apresenta um mix de produtos que inclui farinha de mandioca, massa de tapioca, banana chips, cafés especiais, frutas desidratadas, barra de cereal, iogurte, queijo de cabra, néctar de frutas, chocolates, mel, cachaça, doces , geleias, flocão e mingau de milho, feijão, polpas de frutas, entre outros.

 “Acho fundamental ter a agricultura familiar inserida na SuperBahia. A atividade supermercadista tem tudo a ver com agricultura familiar porque o ponto de venda do supermercado é a ponta final entre o produtor e consumidor. Estamos construindo um caminho cada vez mais forte e mais consolidado para o desenvolvimento”, afirmou o presidente da Abase, Joel Feldman.

 O diretor executivo da Cooperativa de Produtores Rurais de Presidente Tancredo Neves (Coopatan), Ailton Pereira, apresenta ao público farinha de mandioca, massa de tapioca, bolo e banana chips. “Para nós, a SuperBahia é uma oportunidade de estar em contato com as grandes redes de supermercados e fazer novos negócios. Hoje, nós já fornecemos produtos para Walmart no Nordeste, e a nossa expectativa é que o balanço seja positivo como foi a nossa participação nas outras edições”, destacou.

 As grandes redes que atuam na Bahia, como Atacadão, Walmart e Pão de Açúcar, já são clientes das cooperativas da agricultura familiar. O Walmart, por exemplo, possui o Clube dos Produtores, que reúne cerca de 6,5 mil pequenos produtores rurais em todo o Brasil, que vendem diretamente para a empresa, abastecendo 15% do setor de seu hortifruti.

 Outro destaque desta edição da Superbahia é o lançamento do 'Selo Verde'. A Abase pretende estimular que cada supermercado baiano reserve um espaço para produtos da agricultura familiar, concedendo então o selo àqueles que promoverem a venda dos produtos que vêm do meio rural baiano.

Definidas ações para a campanha de vacinação contra o sarampo e poliomielite na Bahia

Estratégias de imunização foram definidas para reforçar a cobertura vacinal em crianças menores de 5 anos, na Bahia. As ações serão desenvolvidas, principalmente, no período de 6 a 31 de agosto, quando será realizada a campanha nacional de vacinação contra o sarampo e poliomielite, tendo 18 de agosto como o Dia D.

 O plano de ação iniciará já nesta sexta-feira (20 de julho), nos 63 municípios baianos que tiveram menos de 50% da cobertura vacinal para poliomielite em crianças menores de 1 ano. Além da vacinação nos postos de saúde, haverá imunização em diversos pontos das zonas urbanas e rurais.

 Dentre as estratégias está a articulação com escolas e creches do território para realizar a vacinação programada. Também está previsto o funcionamento em horários alternativos das unidades de saúde, a busca pelos faltosos nos pontos de imunização, além da realização da vacinação casa a casa, em feiras, shopping, praças e em outros locais de grande circulação.

 Com a estratégia, é esperado elevar as coberturas vacinais na população menor de 5 anos a níveis desejados (maior ou igual a 95%), fortalecer os serviços de imunização nos 417 municípios baianos, melhorar os indicadores de qualidade da vigilância epidemiológica em casos suspeitos de poliomielite, sarampo, rubéola e síndrome da rubéola congênita (SRC), manter o status do Brasil e América Latina como livre de pólio, conservar a Bahia livre do vírus do sarampo, da rubéola e da Síndrome da Rubéola Congênita (SRC).